A origem do cão doméstico


A origem do cão doméstico não é consensual, existindo diversas teorias sobre a mesma. Para procurar determinar qual a sua origem, os cientistas têm analisado fósseis, comportamentos e mesmo os genes das espécies caninas.A origem do cão doméstico não é consensual, existindo diversas teorias sobre a mesma. Para procurar determinar qual a sua origem, os cientistas têm analisado fósseis, comportamentos e mesmo os genes das espécies caninas. O que é consensual é colocar o cão na família dos canídeos, canidae.
Segundo a classificação das espécies mamíferas do Mundo, organizada pelo Museu Nacional de História Natural, situado em Washington, o cão pertence ao reino animalia, ordem carnívora, familia canidae, espécie Canis Lupus e sub-espécie Canis Lupus Familiaris.

Os paleontólogos e arqueólogos determinaram que a origem dos felinos, canídeos e outros animais carnívoros têm por base o Miacis. O Miacis é semelhante a uma doninha e existiu há 40 milhões de anos. A origem deste é um grupo de mamíferos primitivos - os Creodontes - que viveram há cerca de 140 milhões de anos. Na cadeia evolutiva, surge a seguir o Cynodictis, que se desenvolveu cerca de 21 milhões de anos mais tarde, seguindo-se o Cynodesmus e por fim o Tomarctus, que originou os canídeos.

Dingo

As teorias à volta da origem do cão, baseadas principalmente em semelhanças físicas, referem que este tem origem num dos vários membros do género Canis: lobo, coiotes ou chacais, cães selvagens como o Dingo australiano ou um cruzamento entre estas raças. Estudos genéticos mais recentes não sustentam esta teoria: ao que tudo indica, até ao momento, apenas um animal contribuiu decisivamente para a origem do cão doméstico e esse animal é o lobo.

Canis Lupus

Os cães, lobos, chacais e coiotes são capazes de se cruzar tornando ainda mais complexa a tarefa de determinar a origem do cão doméstico. Mesmo assim, existe uma maior compatibilidade genética entre o cão e o lobo cinzento.

Canis Lupus Arabs

Durante muito tempo, o lobo cinzento (Canis lupus) foi considerado pelos cientistas como sendo o antecessor do cão doméstico. No entanto, a análise das evidências arqueológicas mostram que o ancestral original do cão doméstico não foi uma das grandes sub-espécies nórdicas do lobo, como o lobo cinzento, mas muito provavelmente uma do Sudeste Asiático, Médio Oriente ou norte da África, como o lobo árabe (Canis lupus arabs) e/ou o lobo indiano (Canis lupus pallipes).

O homem primitivo necessitava do cão para o ajudar e não como cão de luxo. Assim, devem ter existido os seguintes grupos:
Na actualidade, o projecto "The Dog Genome Project" tem o objectivo de estabelecer o mapa de todos os cromossomas dos cães. O estudo da genética canina oferece a esperança de determinar a origem e comportamento destes mamíferos. O estudo do genoma do cão vai permitir curar algumas doenças como alguns tipos de cancro, epilepsia, surdez, malformações ósseas e cegueira. A identificação dos genes que causam as doenças no cão vai facilitar encontrar os genes idênticos no ser humano.

Referências Bibliográficas:

Referências de Figuras:

http://animaldiversity.ummz.umich.edu
http://allatvilag.eblap.hu

Contribuído por Rui Inácio